A Comunidade Ética de Kant: Como Unir os Homens Mediante Leis de Virtude

Ref: 978-85-473-3127-6

Para investigar e trazer ao debate atual o conceito de comunidade ética, temática por Kant desenvolvida na terceira parte do escrito A religião nos limites da simples razão, o trabalho de Letícia Machado Spinelli direciona-se no sentido de, por um lado, reconstruir as bases teóricas que forjaram a reflexão kantiana acerca de comunidade ética e, por outro, investigar o que denomina de desdobramento do conceito de comunidade ética. Kant, conforme indica a autora, não se serve ou aponta explicitamente para algo semelhante a um desdobramento conceitual da noção de comunidade ética. Com efeito, a sua argumentação permite que tal tese seja proposta, uma vez que há, relativamente à noção de comunidade ética, uma visível sobreposição de definições. Kant serve-se de três definições para designar a comunidade ética, a saber: a comunidade ética enquanto uma união sob leis de virtude, a comunidade ética enquanto um povo de Deus sob leis de virtude e, por fim, a comunidade ética como uma igreja. União moral, legislação divina e igreja compõem, portanto, o repertório com o qual Kant discorre acerca do conceito de comunidade ética, e são dessas definições, quer associadas aos meandros argumentativos inerentes a cada uma em particular, quer na articulação de todas numa perspectiva de unidade, que este livro se ocupa.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 62,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-3127-6


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 21/06/2019


Número de páginas: 243


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Letícia Spinelli.

Para investigar e trazer ao debate atual o conceito de comunidade ética, temática por Kant desenvolvida na terceira parte do escrito A religião nos limites da simples razão, o trabalho de Letícia Machado Spinelli direciona-se no sentido de, por um lado, reconstruir as bases teóricas que forjaram a reflexão kantiana acerca de comunidade ética e, por outro, investigar o que denomina de desdobramento do conceito de comunidade ética. Kant, conforme indica a autora, não se serve ou aponta explicitamente para algo semelhante a um desdobramento conceitual da noção de comunidade ética. Com efeito, a sua argumentação permite que tal tese seja proposta, uma vez que há, relativamente à noção de comunidade ética, uma visível sobreposição de definições. Kant serve-se de três definições para designar a comunidade ética, a saber: a comunidade ética enquanto uma união sob leis de virtude, a comunidade ética enquanto um povo de Deus sob leis de virtude e, por fim, a comunidade ética como uma igreja. União moral, legislação divina e igreja compõem, portanto, o repertório com o qual Kant discorre acerca do conceito de comunidade ética, e são dessas definições, quer associadas aos meandros argumentativos inerentes a cada uma em particular, quer na articulação de todas numa perspectiva de unidade, que este livro se ocupa.