Questões Urbanas: Diálogos entre Planejamento Urbano e Qualidade de Vida

Ref: 978-85-473-2659-3

O livro Questões Urbanas: diálogos entre planejamento urbano e qualidade de vida, aborda o desafio do planejamento nas cidades visando melhorar o acesso à infraestrutura urbana e às instituições públicas de modo igualitário.Por intermédio desse contexto, o livro destaca a importância do estudo da qualidade de vida urbana como uma forma para auxiliar o processo de planejamento urbano e a pontuação das deficiências e condicionantes existentes na malha urbana. Entende-se que as pessoas devem possuir uma condição básica de atendimento relacionada às questões urbanas, e a qualidade de vida urbana é utilizada como uma ferramenta para essa mensuração.Essas análises podem ajudar a cidade a atingir índices de desenvolvimento humano (IDH) de forma equilibrada em toda a área urbana, e não somente bons resultados nas áreas centrais e mais nobres da cidade como de fato ocorrem na grande parte das cidades brasileiras.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 62,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-2659-3


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 18/06/2019


Número de páginas: 261


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Tatiana Cristina Schneider Ghisi.

O livro Questões Urbanas: diálogos entre planejamento urbano e qualidade de vida, aborda o desafio do planejamento nas cidades visando melhorar o acesso à infraestrutura urbana e às instituições públicas de modo igualitário.
Por intermédio desse contexto, o livro destaca a importância do estudo da qualidade de vida urbana como uma forma para auxiliar o processo de planejamento urbano e a pontuação das deficiências e condicionantes existentes na malha urbana. Entende-se que as pessoas devem possuir uma condição básica de atendimento relacionada às questões urbanas, e a qualidade de vida urbana é utilizada como uma ferramenta para essa mensuração.
Essas análises podem ajudar a cidade a atingir índices de desenvolvimento humano (IDH) de forma equilibrada em toda a área urbana, e não somente bons resultados nas áreas centrais e mais nobres da cidade como de fato ocorrem na grande parte das cidades brasileiras.
Essa proposta é realizada por meio de um estudo de caso no município de Francisco Beltrão. A análise é dividida em duas partes, a primeira pesquisa-se sobre o desenvolvimento urbano da cidade, quantificando fatores como a expansão urbana, saneamento básico, equipamentos públicos, vazios urbanos e problemas urbanos existentes na cidade. A segunda parte analisa a qualidade de vida urbana ao considerar os índices de qualidade ambiental, o índice socioeconômico e o índice de educação por meio dos dados censitários e, a partir desses resultados, mensura-se o índice de qualidade de vida de cada bairro da cidade. Toda a análise dos dados é transformada em mapas temáticos a partir do Sistema de Informação Geográfica (SIG), que facilita a compreensão deles por intermédio da análise espacial.