Questões Raciais na Igreja Católica

Ref: 978-85-537-0124-7

Este livro aborda o tema da questão racial no interior da Igreja Católica no Brasil. Apresentando um breve panorama das principais discussões teóricas sobre os conceitos de raça e, por meio desta, vislumbrando a construção discursiva do negro, e como ela se desdobra na referida instituição católica. Neste sentido, empreendemos uma breve historicização da Igreja no Brasil, além de analisarmos a constituição da Pastoral Afro Brasileira, inserindo-a como parte dos movimentos negros no Brasil. Destarte, privilegiamos uma análise rigorosa da Campanha da Fraternidade de 1988, elaborada pela Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que teve o negro como tema.Para tanto, lançamos mão dos conceitos de heterogeneidade discursiva e de dialogismo, emblemáticos na obra do pensador Mikhail Bakhtin (2003), bem como das noções de cenografia e prática discursiva propostas por Dominique Maingueneau (2011), dentro da perspectiva da análise do discurso.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 58,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-537-0124-7


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 15/07/2019


Número de páginas: 301


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 14 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Ronaldo Pimentel Baptista.

Este livro aborda o tema da questão racial no interior da Igreja Católica no Brasil. Apresentando um breve panorama das principais discussões teóricas sobre os conceitos de raça e, por meio desta, vislumbrando a construção discursiva do negro, e como ela se desdobra na referida instituição católica. Neste sentido, empreendemos uma breve historicização da Igreja no Brasil, além de analisarmos a constituição da Pastoral Afro Brasileira, inserindo-a como parte dos movimentos negros no Brasil. Destarte, privilegiamos uma análise rigorosa da Campanha da Fraternidade de 1988, elaborada pela Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que teve o negro como tema.
Para tanto, lançamos mão dos conceitos de heterogeneidade discursiva e de dialogismo, emblemáticos na obra do pensador Mikhail Bakhtin (2003), bem como das noções de cenografia e prática discursiva propostas por Dominique Maingueneau (2011), dentro da perspectiva da análise do discurso.
Acreditamos que a singularidade da obra se dê pela tratativa que estabelecemos com o corpus documental selecionado, com o qual conjugamos uma reflexão histórica por meio da aplicação dos instrumentais da análise do discurso acerca da temática do negro em nossa sociedade, através da sua inserção na Igreja Católica. Outro aspecto que acrescenta certo destaque à referida obra, deve-se ao fato de disponibilizarmos na íntegra os documentos que constituíram as fontes primárias de nossa pesquisa, a saber: Os textos-base da Campanha da Fraternidade de 1988, produzidos respectivamente pela CNBB e pela Arquidiocese do Rio de Janeiro.
Desta forma, entendemos que, em meio a um cenário de disputas diante da elaboração e implementação de políticas públicas destinadas aos negros, torna-se de grande importância ao conjunto da sociedade dispor de subsídios teóricos e interpretativos que lhe permita não só compreender a construção da imagem identitária do sujeito negro, destinatário de tais políticas, como também se conscientizar a respeito dos principais debates e discussões referentes às relações raciais na contemporaneidade brasileira.
Esta é, portanto, uma obra destinada a todos aqueles interessados não só nas questões raciais, religiosas, políticas ou sociais, mas, principalmente, aos que se interessam pelo que ainda há de humano em nós, independente das marcas e colorações que apresentamos em nossas epidermes. Seja ele historiador, sociólogo, antropólogo, geógrafo, literato, ativista, militante, político, educador ou cidadão comum, preocupado com as manifestações racistas que continuam ocorrendo em nosso tecido social e ferindo estupidamente a nossa humanidade, em especial, a dos negros.