O Pequeno Príncipe, de Friedrich Nietzsche

Ref: 978-85-473-3248-8

O pequeno príncipe, de Saint-Exupéry, de tantas leituras e releituras, sempre em sentinelas algumas inspirações, mais do que isso, provações! Em um determinado dia, embriagado pelo vinho de Dionísio, a inspiração me tomou por sobressalto. E me arrebatou a uma prazível criação. Foi como me empurrassem a um escarpado, placidamente, tomado pelo voo da águia, extasiado pelas palavras que em mim despertavam o daímôn. Então, eis que sou tomado pela provocação dionisíaca. E se Nietzsche tivesse lido esta obra, o que ele nos revelaria? Provocava-me Dionísio! Ultrajava-me Dionísio! Tomado por uma cefaleia, que só se aliviava com ajuda de Hefesto, saltavam as palavras da minha imaginação. Então o texto que segue tem o desafio em apresentar à eudaimonia nietzschiana sobre o Pequeno Príncipe. Eis, aí, O Pequeno Príncipe de F. Nietzsche.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 36,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-3248-8


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 09/07/2019


Número de páginas: 61


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Zionel Santana.

O pequeno príncipe, de Saint-Exupéry, de tantas leituras e releituras, sempre em sentinelas algumas inspirações, mais do que isso, provações! Em um determinado dia, embriagado pelo vinho de Dionísio, a inspiração me tomou por sobressalto. E me arrebatou a uma prazível criação. Foi como me empurrassem a um escarpado, placidamente, tomado pelo voo da águia, extasiado pelas palavras que em mim despertavam o daímôn. Então, eis que sou tomado pela provocação dionisíaca. E se Nietzsche tivesse lido esta obra, o que ele nos revelaria? Provocava-me Dionísio! Ultrajava-me Dionísio! Tomado por uma cefaleia, que só se aliviava com ajuda de Hefesto, saltavam as palavras da minha imaginação. Então o texto que segue tem o desafio em apresentar à eudaimonia nietzschiana sobre o Pequeno Príncipe. Eis, aí, O Pequeno Príncipe de F. Nietzsche.