Contos sobre a Escola Moderna e Alunos Cristãos

Ref: 978-85-537-0060-8

São doze contos para fortalecer e inspirar alunos, pais e professores cristãos, diante do mundo escolar que os envolve. Dos doze contos, os dois primeiros - “Mãe, Quem Poder ser Meu Professor?” e “As Diferenças Fazem Diferenças” - podem ser lidos para crianças a partir de 7 anos. O restante é mais indicado para pré-adolescentes a partir de 12 anos. Tudo isso, como qualquer livro de escola, sob a supervisão dos pais e diretores das escolas. Pais e professores podem e devem ler todos. Esse mundo, que muitas vezes reprime o cristianismo, não está só nas salas de aula, mas em casa, nas secretarias de educação dos governos, entre os alunos, entre os professores, nos grupos de pais do zap e até entre clérigos. Os contos procuram mostrar esses diversos aspectos.Hoje em dia, em que o pensamento anticristão é dominante, os cristãos estão cada vez mais acuados. Por vezes, a própria escola dita cristã se afasta do cristianismo. Esse assunto também é tratado aqui em três contos: “Chutes para Perdição”, “Respeito Radical” e “Rei Davi, Menino”.As escolas modernas, muitas vezes, aprendem nas ruas o que ensinam em sala de aula, tema do conto “Educação Achada na Rua”. Ao final, o conto “Qual é a Música, Anjo?” procura ressaltar o amor divino por nossas crianças.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 54,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-537-0060-8


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 15/07/2019


Número de páginas: 85


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Pedro Erik Carneiro.

São doze contos para fortalecer e inspirar alunos, pais e professores cristãos, diante do mundo escolar que os envolve.
Dos doze contos, os dois primeiros - “Mãe, Quem Poder ser Meu Professor?” e “As Diferenças Fazem Diferenças” - podem ser lidos para crianças a partir de 7 anos. O restante é mais indicado para pré-adolescentes a partir de 12 anos. Tudo isso, como qualquer livro de escola, sob a supervisão dos pais e diretores das escolas. Pais e professores podem e devem ler todos.

Esse mundo, que muitas vezes reprime o cristianismo, não está só nas salas de aula, mas em casa, nas secretarias de educação dos governos, entre os alunos, entre os professores, nos grupos de pais do zap e até entre clérigos. Os contos procuram mostrar esses diversos aspectos.
Hoje em dia, em que o pensamento anticristão é dominante, os cristãos estão cada vez mais acuados. Por vezes, a própria escola dita cristã se afasta do cristianismo. Esse assunto também é tratado aqui em três contos: “Chutes para Perdição”, “Respeito Radical” e “Rei Davi, Menino”.
As escolas modernas, muitas vezes, aprendem nas ruas o que ensinam em sala de aula, tema do conto “Educação Achada na Rua”.
Ao final, o conto “Qual é a Música, Anjo?” procura ressaltar o amor divino por nossas crianças.