Unidades de Conservação da Baixada Fluminense: Contribuições para a Consolidação da Baixada Verde

Ref: 978-85-473-3416-1

Unidades de Conservação da Baixada Fluminense: contribuições para a consolidação da Baixada Verde faz uma leitura sobre as áreas verdes localizadas na Baixada Fluminense (BF), tanto aquelas que podem vir a se tornar Unidades de Conservação, quanto, principalmente, as que já são efetivamente, e que são a base do projeto Baixada Verde, composto por 10 dos 13 municípios da BF. Esse projeto foi implementado pela Companhia de Turismo do Estado do Rio de Janeiro, a TurisRio, em 2017, e já consta no novo mapa das regiões turísticas do estado. Hoje a Região Metropolitana do Rio de Janeiro (RMRJ) tem 36,27% de seu território verde conservado, e desse total 10,96%, ou seja, praticamente um terço, está na Baixada, justificando o nome do projeto.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 78,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-3416-1


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 22/08/2019


Número de páginas: 239


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Monika Richter.

2. Heitor Soares de Farias.

3. Elizabeth Maria Feitosa da Rocha de Souza.

Unidades de Conservação da Baixada Fluminense: contribuições para a consolidação da Baixada Verde faz uma leitura sobre as áreas verdes localizadas na Baixada Fluminense (BF), tanto aquelas que podem vir a se tornar Unidades de Conservação, quanto, principalmente, as que já são efetivamente, e que são a base do projeto Baixada Verde, composto por 10 dos 13 municípios da BF. Esse projeto foi implementado pela Companhia de Turismo do Estado do Rio de Janeiro, a TurisRio, em 2017, e já consta no novo mapa das regiões turísticas do estado. Hoje a Região Metropolitana do Rio de Janeiro (RMRJ) tem 36,27% de seu território verde conservado, e desse total 10,96%, ou seja, praticamente um terço, está na Baixada, justificando o nome do projeto. A Baixada Verde é formada pelos municípios de Japeri, São João de Meriti, Belford Roxo, Duque de Caxias, Magé, Mesquita, Nilópolis, Nova Iguaçu, Queimados e Seropédica, e visa a atrair turistas para conhecerem as belezas naturais dessa área periférica da RMRJ, que tem resistido ao processo de crescimento industrial e urbano desordenado, decorrente do grande contingente populacional concentrado no entorno da capital do estado do Rio de Janeiro. No entanto, para explorar as potencialidades turísticas desses municípios e suas áreas naturais que se encontram preservadas, é preciso conhecer as Unidades de Conservação, suas fragilidades, ameaças e conflitos ambientais, além das possibilidades de utilização desses espaços, expressas na legislação pertinente, o Sistema Nacional das Unidades de Conservação (Lei 9.985/2000) e, assim, planejar e utilizar a atividade turística para impulsionar a economia da Baixada Verde, por meio da geração de emprego e renda, assim como valorizar todo o patrimônio natural existente na região.

Nesse sentido, este livro vem apresentar alguns estudos sobre Unidades de Conservação localizadas na Baixada Fluminense, integrando, além dos já citados municípios, Paracambi, Itaguaí e Guapimirim. Em um total de 92 Unidades de Conservação, como o Parque Natural Municipal de Nova Iguaçu, a Reserva Biológica do Tinguá, a Floresta Nacional Mario Xavier e a APA de Guapimirim, entre outras, aprofunda temas sobre a gestão dessas áreas e leva a reflexões que fortalecerão a consolidação de uma Baixada Verde.