Ciência Moderna, Religião e os Novos Ateístas

Ref: 978-85-473-3640-0

Este livro tem como objetivo analisar o discurso dos principais autores neoateístas, a partir de um ponto de vista que considera o neoateísmo como um movimento atual que, diferentemente do ateísmo tradicional, tem uma pauta que não é apenas filosófica, mas também decididamente político-cultural. Ele emerge em reação aos eventos que marcaram o atentado ao World Trade Center, em 2001, e particularmente, em reação ao ressurgimento e à crescente influência cultural e política do neofundamentalismo cristão nos Estados Unidos, a partir da década de 1970. Na percepção dos neoateístas, a religião está se tornando uma força politicamente organizada em ascensão, dentro e fora dos EUA, e que na avaliação desses atores pode ser definida como perigosa, destrutiva e irracional, haja vista as ações dos extremistas radicais islâmicos, e por fim, o próprio 11 de setembro de 2001. Os autores aqui analisados entendem que a postura neoateísta é crítica e renovadora. Em nossa avaliação, todavia, essa postura, apesar de se diferenciar dos ateísmos tradicionais, constitui o que entendemos ser um “neofundamentalismo secularista” cujos promotores também veiculam ideias efetivamente radicais no atual contexto político-cultural norte-americano caracterizado, como assinala James Hunter, por verdadeira guerra de culturas.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 88,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-3640-0


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 24/09/2019


Número de páginas: 324


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Roney de Seixas Andrade.

2. Wilmar do Valle Barbosa.

Este livro tem como objetivo analisar o discurso dos principais autores neoateístas, a partir de um ponto de vista que considera o neoateísmo como um movimento atual que, diferentemente do ateísmo tradicional, tem uma pauta que não é apenas filosófica, mas também decididamente político-cultural. Ele emerge em reação aos eventos que marcaram o atentado ao World Trade Center, em 2001, e particularmente, em reação ao ressurgimento e à crescente influência cultural e política do neofundamentalismo cristão nos Estados Unidos, a partir da década de 1970. Na percepção dos neoateístas, a religião está se tornando uma força politicamente organizada em ascensão, dentro e fora dos EUA, e que na avaliação desses atores pode ser definida como perigosa, destrutiva e irracional, haja vista as ações dos extremistas radicais islâmicos, e por fim, o próprio 11 de setembro de 2001. Os autores aqui analisados entendem que a postura neoateísta é crítica e renovadora. Em nossa avaliação, todavia, essa postura, apesar de se diferenciar dos ateísmos tradicionais, constitui o que entendemos ser um “neofundamentalismo secularista” cujos promotores também veiculam ideias efetivamente radicais no atual contexto político-cultural norte-americano caracterizado, como assinala James Hunter, por verdadeira guerra de culturas.