Escolas Para Quê? Por Quê?

Ref: 978-85-473-3207-5

A escola é um espaço social autônomo, fechado e suas salas de aula possuem as características de acontecimentos múltiplos, simultâneos, imediatos e rápidos, que possuem certa trama temporal, interativos ou não, cujas atividades trazem consigo uma forte dimensão simbólica e interpretativa. O livro Escolas, por quê? Para quê? desperta um pensar sobre a escola, seus atores sociais e sua dinâmica de funcionamento.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-3207-5


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 31/10/2019


Número de páginas: 131


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Telma Jannuzzi da Silva Lopes.

2. Pedro Humberto Faria Campos.

A escola é um espaço social autônomo, fechado e suas salas de aula possuem as características de acontecimentos múltiplos, simultâneos, imediatos e rápidos, que possuem certa trama temporal, interativos ou não, cujas atividades trazem consigo uma forte dimensão simbólica e interpretativa.
O livro Escolas, por quê? Para quê? desperta um pensar sobre a escola, seus atores sociais e sua dinâmica de funcionamento.
A obra propõe apresentar aos educadores discussões sobre o que as crianças que possuem um capital cultural mais elevado pensam e simbolizam sobre esse ambiente social. O objetivo de recriar tridimensionalmente por meio da construção de maquetes o cotidiano da escola ajudou a revelar os conhecimentos, saberes, valores que se constroem sobre ela. Durante o jogo proposto registrou-se diferentes visões sobre a funcionalidade da escola baseadas na idade dos alunos, no seu gênero e em interação possibilitando algumas inferências que muito contribuirão para o trabalho do educador. Alguns pontos relacionados ao desenvolvimento dos alunos de 8 a 12 anos foram observados: houve uma evolução da visão egocêntrica centrada nas necessidades e interesses da criança para uma visão mais descentrada, na qual o outro aparece com direitos como os seus revelados nas construções minha sala / a sala do outro, principalmente com a evolução das idades nas meninas. Registrou-se que as meninas são mais ligadas à figura do professor e as mais velhas vão diferenciando mais as funções administrativas que os meninos (que registra uma diferenciação de gênero quanto à percepção da funcionalidade da escola). O revelador foi a quase completa ausência de atividades em interação com a própria professora, dando indícios que elas já não ocupam lugar especial na vida do aluno. Foi destacada mais interação com os professores de Educação Física e Informática, o campo das chamadas “atividades extras”. A escola aparece como um lugar importante de socialização (brincar, jogar, conversar com colegas) e são as atividades relacionadas a essas “relações de amizade” que ocupam a mente das crianças. O pátio foi o espaço mais nomeado quantitativamente e hierarquicamente, foi representado por todos, apontando que é o lugar mais significativo para os alunos tanto como espaço de brincadeiras e recreação quanto espaço para encontro e conversas.