Ecossistema Comunicativo: Educomunicação e Transgenia

Ref: 978-85-473-3345-4

Esta obra pretende confirmar a discussão sobre os pensamentos que compõem a regulação da transgenia e debater a necessidade de construção de um arquétipo comunicativo que venha favorecer o envolvimento da sociedade nos processos decisórios no que tange à pesquisa, à regulamentação e à rotulagem da transgenia no Brasil. Com ela, esperamos ampliar as possibilidades de divulgação de ideias, utilizando instrumentos comunicativos diferenciados, socializar as informações veiculadas em órgãos predefinidos e desmitificar conceitos preestabelecidos sobre a transgenia. Assim, neste livro, você encontrará a discussão sobre o saber ambiental como conhecimento acerca de e como conhecimento que promova práxis políticas sustentáveis, por meio de uma visão holística do ambiente. Para tanto, serão descritos os principais conceitos de educação ambiental, na perspectiva de apontar um olhar crítico desta área de conhecimento; o processo de desinformação ou informação e o instrumento de construção do conhecimento; a popularização da ciência como forma de construção de uma cultura científica, partindo do pressuposto do direito à informação e da participação da sociedade nos processos decisórios dos rumos tomados pela ciência; e, na sequência, a Educomunicação como um ecossistema comunicativo a serviço da popularização da ciência e como instrumento de construção do conhecimento. Ainda conceituamos a tecnologia transgênica e apresentamos as principais ideias discutidas pela ciência nos aspectos das suas certezas e incertezas.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-3345-4


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 30/10/2019


Número de páginas: 141


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Selmar Becker Alves.

2. Cleber Antônio Lindino.

3. Terezinha Corrêa Lindino.

Esta obra pretende confirmar a discussão sobre os pensamentos que compõem a regulação da transgenia e debater a necessidade de construção de um arquétipo comunicativo que venha favorecer o envolvimento da sociedade nos processos decisórios no que tange à pesquisa, à regulamentação e à rotulagem da transgenia no Brasil. Com ela, esperamos ampliar as possibilidades de divulgação de ideias, utilizando instrumentos comunicativos diferenciados, socializar as informações veiculadas em órgãos predefinidos e desmitificar conceitos preestabelecidos sobre a transgenia. Assim, neste livro, você encontrará a discussão sobre o saber ambiental como conhecimento acerca de e como conhecimento que promova práxis políticas sustentáveis, por meio de uma visão holística do ambiente. Para tanto, serão descritos os principais conceitos de educação ambiental, na perspectiva de apontar um olhar crítico desta área de conhecimento; o processo de desinformação ou informação e o instrumento de construção do conhecimento; a popularização da ciência como forma de construção de uma cultura científica, partindo do pressuposto do direito à informação e da participação da sociedade nos processos decisórios dos rumos tomados pela ciência; e, na sequência, a Educomunicação como um ecossistema comunicativo a serviço da popularização da ciência e como instrumento de construção do conhecimento. Ainda conceituamos a tecnologia transgênica e apresentamos as principais ideias discutidas pela ciência nos aspectos das suas certezas e incertezas. E, por fim, apresentamos as informações levantadas na pesquisa sobre a regulação da transgenia, quem são os atores que as defendem, como cada um utiliza-se da ideia do outro para desconstruí-la, para justificar suas lacunas, como constrói e desconstrói as ideias no intuito de fazer prevalecer a sua ideia como verdade definitiva. Por meio dos indicativos construídos, a partir de um Ecossistema Comunicativo, analisamos o caso da transgenia descrevendo como ela é apresentada à sociedade e os seus conflitos de interesses políticos, econômicos e culturais.