Significações da Hospitalização na Infância

Ref: 978-85-473-3770-4

A experiência da hospitalização na infância é influenciada por diversos fatores, como a idade e temperamento da criança, a causa da hospitalização, a ocorrência de experiências prévias de adoecimento e hospitalizações, fatores socioeconômicos, culturais e familiares, além do relacionamento com a equipe de saúde. Esses aspectos podem favorecer ou dificultar a adaptação da criança durante a sua permanência no hospital. A família também, com frequência, é submetida à alteração das rotinas diárias e ao estresse acarretados pelas condições da criança adoecida. As limitações de contato e as regras do ambiente hospitalar são comumente associados aos sentimentos de perda de autonomia e da liberdade.Os conhecimentos de crianças e suas famílias sobre saúde, doenças, tratamentos e hospitalização representam temas de interesse para a Psicologia e as demais áreas da saúde, pois a elaboração conceitual desses conhecimentos está diretamente relacionada às implicações práticas em suas experiências, aos comportamentos e às consequências em saúde. Desse modo, significações sobre cuidados em saúde são construídas a partir de aspectos individuais e coletivos, carregados de elementos simbólicos organizados de modos singulares que afetam e são afetados por inúmeros fatores.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 68,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 30,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-3770-4


ISBN Digital: 978-85-473-3771-1


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 01/11/2019


Número de páginas: 267


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Marina Menezes.

2. Carmen Leontina Ojeda Ocampo Moré.

A experiência da hospitalização na infância é influenciada por diversos fatores, como a idade e temperamento da criança, a causa da hospitalização, a ocorrência de experiências prévias de adoecimento e hospitalizações, fatores socioeconômicos, culturais e familiares, além do relacionamento com a equipe de saúde. Esses aspectos podem favorecer ou dificultar a adaptação da criança durante a sua permanência no hospital. A família também, com frequência, é submetida à alteração das rotinas diárias e ao estresse acarretados pelas condições da criança adoecida. As limitações de contato e as regras do ambiente hospitalar são comumente associados aos sentimentos de perda de autonomia e da liberdade.
Os conhecimentos de crianças e suas famílias sobre saúde, doenças, tratamentos e hospitalização representam temas de interesse para a Psicologia e as demais áreas da saúde, pois a elaboração conceitual desses conhecimentos está diretamente relacionada às implicações práticas em suas experiências, aos comportamentos e às consequências em saúde. Desse modo, significações sobre cuidados em saúde são construídas a partir de aspectos individuais e coletivos, carregados de elementos simbólicos organizados de modos singulares que afetam e são afetados por inúmeros fatores.
Compreender como o processo de hospitalização é significado pela criança e seu acompanhante durante o período de permanência na instituição hospitalar motivou o desenvolvimento de uma pesquisa de doutorado em Psicologia, que por sua vez subsidiou a presente obra. A partir de uma perspectiva desenvolvimentista das significações sobre saúde, doença e hospitalização, o livro pretende apresentar os aspectos compreendidos pelos usuários (crianças e familiares) acerca dessas experiências repletas de peculiaridades.
Ter acesso aos conteúdos presentes nas significações daqueles que são usuários de serviços hospitalares pediátricos pode favorecer a equipe de saúde a planejar os cuidados e a intervir com a criança hospitalizada e sua família, a partir das suas perspectivas, estruturando o ambiente a fim de fortalecer e potencializar o desenvolvimento humano.