Subindo a Escada: A Internacionalização de Empresas Nacionais no Governo Lula

Ref: 978-85-473-3227-3

O livro Subindo a escada: a internacionalização de empresas nacionais no Governo Lula lança um olhar sobre o apoio estatal à expansão de conglomerados econômicos nacionais no exterior, política corriqueira nos países industrializados. Contudo, como colocou Ha Joon Chang em sua obra Chutando a Escada – A estratégia do desenvolvimento em perspectiva histórica (2002), os países desenvolvidos estariam “chutando a escada” pela qual subiram ao topo do processo de desenvolvimento, impedindo, assim, que os países emergentes adotem as mesmas políticas que utilizaram. Nesse sentido, em que pese a crítica da ortodoxia do establishment econômico doméstico e internacional em relação à intervenção do Estado na economia, o Brasil lançou mão da mesma estratégia utilizada pelas principais potências econômicas no passado e que foram fundamentais para os seus respectivos processos de desenvolvimento. Ou seja, o país atreveu-se a subir por uma das escadas pelas quais os países desenvolvidos atingiram os mais elevados níveis de desenvolvimento econômico e social.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00 R$ 29,40 40% off
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-3227-3


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 12/11/2019


Número de páginas: 243


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Robson Coelho Cardoch Valdez.

O livro Subindo a escada: a internacionalização de empresas nacionais no Governo Lula lança um olhar sobre o apoio estatal à expansão de conglomerados econômicos nacionais no exterior, política corriqueira nos países industrializados. Contudo, como colocou Ha Joon Chang em sua obra Chutando a Escada – A estratégia do desenvolvimento em perspectiva histórica (2002), os países desenvolvidos estariam “chutando a escada” pela qual subiram ao topo do processo de desenvolvimento, impedindo, assim, que os países emergentes adotem as mesmas políticas que utilizaram. Nesse sentido, em que pese a crítica da ortodoxia do establishment econômico doméstico e internacional em relação à intervenção do Estado na economia, o Brasil lançou mão da mesma estratégia utilizada pelas principais potências econômicas no passado e que foram fundamentais para os seus respectivos processos de desenvolvimento. Ou seja, o país atreveu-se a subir por uma das escadas pelas quais os países desenvolvidos atingiram os mais elevados níveis de desenvolvimento econômico e social.
A criação de instrumentos governamentais de financiamento à internacionalização de empresas brasileiras deu continuidade a um processo de consolidação do aparato institucional de fomento ao comércio exterior brasileiro, que vinha estruturando-se em governos anteriores. No contexto dessa estratégia, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) teve atuação central na articulação de interesses da política externa do país e de segmentos do empresariado nacional. Assim, esta obra busca analisar os contextos e as razões que levaram o governo do presidente Lula a adotar a estratégia de apoio estatal à internacionalização de empresas nacionais durante o período de sua administração (2003-2010). O livro é indicado a todos aqueles interessados em uma das temáticas centrais da economia e da política externa do Brasil nos últimos anos.