“Eu Prefiro ter um Filho Morto”: Histórias de Homens que Alegaram ter Abandonado a Homossexualidade

Ref: 978-85-473-4128-2

“Ex-gay”: isso existe? Essa era a pergunta que todo mundo fazia a Odacyr Roberth quando ele falava sobre o tema que estava investigando. Muito além de propor provar ou negar a possibilidade da existência de ex-gays, neste livro o autor identifica as causas que levam um homossexual a querer deixar de sê-lo e busca compreender significados atribuídos a essas causas pelos homens que alegaram ter passado por essa experiência. As quatro trajetórias de vida aqui relatadas apresentam algumas similaridades e muitas particularidades. Eu prefiro ter um filho morto fala de vidas, paixões, desejos realizados e reprimidos, renúncias, busca pela completude e sentido para a vida – e, principalmente, fala de escolhas desumanas que determinados contextos sociais impõem aos indivíduos homossexuais.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 46,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 20,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-4128-2


ISBN Digital: 978-85-473-4129-9


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 13/12/2019


Número de páginas: 147


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Odacyr Roberth Moura da Silva.

“Ex-gay”: isso existe? Essa era a pergunta que todo mundo fazia a Odacyr Roberth quando ele falava sobre o tema que estava investigando. Muito além de propor provar ou negar a possibilidade da existência de ex-gays, neste livro o autor identifica as causas que levam um homossexual a querer deixar de sê-lo e busca compreender significados atribuídos a essas causas pelos homens que alegaram ter passado por essa experiência. As quatro trajetórias de vida aqui relatadas apresentam algumas similaridades e muitas particularidades. Eu prefiro ter um filho morto fala de vidas, paixões, desejos realizados e reprimidos, renúncias, busca pela completude e sentido para a vida – e, principalmente, fala de escolhas desumanas que determinados contextos sociais impõem aos indivíduos homossexuais.