O Império das Primeiras Letras: Uma História da Institucionalização da Cartilha de Alfabetização no Século XIX 2014

Ref: 978-85-8192-388-8

Ao estudar a história dos principais livros ou manuais para o ensino das primeiras letras no Brasil do século XIX, no âmbito mais geral da História Cultural e mais especificamente da História do Livro, da Leitura e da Cultura Escolar, o autor / historiador – Fernando Vojniak - oferece ao leitor uma produção em que se conjugam pesquisa caudalosa, inteligência, erudição e domínio seguro do assunto. Entender como emergiram esses gêneros de livros no Brasil no século XIX, mapear quem foram seus autores e que pistas nos oferecem para o redesenho histórico de alguns aspectos da cultura escolar na época da universalização da leitura, da escrita e da escolarização, foram objetivos alcançados neste trabalho. Atento às especificidades em torno de um dos instrumentos educativos que tem ajudado a organizar e configurar os processos de ensino e aprendizagem - o manual escolar - o autor contempla a análise dos livros como objetos culturais em seus suportes materiais e o resultado é um estudo de notável valor pelos documentos analisados e pelo diálogo vigoroso com bibliografia atual que dá consistência à documentação encontrada e analisada.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 64,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-8192-388-8


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 17/12/2019


Número de páginas: 303


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Fernando Vojniak.


Ao estudar a história dos principais livros ou manuais para o ensino das primeiras letras no Brasil do século XIX, no âmbito mais geral da História Cultural e mais especificamente da História do Livro, da Leitura e da Cultura Escolar, o autor / historiador – Fernando Vojniak - oferece ao leitor uma produção em que se conjugam pesquisa caudalosa, inteligência, erudição e domínio seguro do assunto. Entender como emergiram esses gêneros de livros no Brasil no século XIX, mapear quem foram seus autores e que pistas nos oferecem para o redesenho histórico de alguns aspectos da cultura escolar na época da universalização da leitura, da escrita e da escolarização, foram objetivos alcançados neste trabalho. Atento às especificidades em torno de um dos instrumentos educativos que tem ajudado a organizar e configurar os processos de ensino e aprendizagem - o manual escolar - o autor contempla a análise dos livros como objetos culturais em seus suportes materiais e o resultado é um estudo de notável valor pelos documentos analisados e pelo diálogo vigoroso com bibliografia atual que dá consistência à documentação encontrada e analisada. O trabalho, pela sua densidade, se destaca como uma obra imprescindível em estudos futuros sobre esta temática. O autor, afinal, é um historiador sempre preocupado com a habilidade de codificação e interpretação como uma maneira de instituir significados a partir de diferentes lugares, grupos sociais e épocas. Este livro será, certamente, um ponto de partida para novas propostas de investigação. O trabalho se vê fortalecido não só pelas ferramentas conceituais que o autor utiliza mas sobretudo pelo modo como esta obra realiza um ordenado itinerário em diálogo com a História Cultural e a História do Livro e da Leitura, transversalizadas pela cultura escolar. Considero que a leitura deste livro pode nos levar a explorar caminhos e propiciar conexões com autores nacionais e internacionais, o que constitui um triunfo em favor do conhecimento pela riqueza da pesquisa e das reflexões propostas e pelo grande número de vias abertas para outras investigações tão frutíferas quanto esta.