Anísio Teixeira e a UDF: Uma Análise Marxista

Ref: 978-85-473-2865-8

Anísio Teixeira e a UDF: uma abordagem marxista analisa, de forma inovadora, a trajetória da criação da Universidade do Distrito Federal, no Rio de Janeiro, examinando as condições históricas em que foi criada a referida instituição. Tais condições históricas condicionaram a UDF a ter uma proposta pedagógica sui generis no contexto de edificação do ensino superior no Brasil. O leitor irá tomar nota de um Brasil analisado pelos mais exímios partícipes do conjunto teórico que compõem a temática da formação social brasileira, como também pelos principais marxistas que analisam os impactos mundiais do capitalismo em regiões periféricas.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 55,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-2865-8


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 16/12/2019


Número de páginas: 223


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Rachel Aguiar Estevam do Carmo.

Anísio Teixeira e a UDF: uma abordagem marxista analisa, de forma inovadora, a trajetória da criação da Universidade do Distrito Federal, no Rio de Janeiro, examinando as condições históricas em que foi criada a referida instituição. Tais condições históricas condicionaram a UDF a ter uma proposta pedagógica sui generis no contexto de edificação do ensino superior no Brasil. O leitor irá tomar nota de um Brasil analisado pelos mais exímios partícipes do conjunto teórico que compõem a temática da formação social brasileira, como também pelos principais marxistas que analisam os impactos mundiais do capitalismo em regiões periféricas. Nesse sentido, os conceitos de Florestan Fernandes, um dos poucos teóricos que reconheceram a importância político-pedagógica de Anísio Teixeira para a educação brasileira, ajudam-nos a entender o processo compósito em que a burguesia brasileira edificou-se bem como suas estratégias de manutenção da ordem de modo contrarrevolucionário. A penetração do espírito burguês como modus operandi do processo de modernização e desenvolvimento do capital provocou uma contradição com as estruturas sociais que vinham permanecendo intactas desde o período colonial, gerando uma formação de classes sociais singulares não somente no Brasil, mas em todos os países (respeitando as especificidades) da América Latina. Esse contexto visto com lucidez por Teixeira serviu como fonte inspiradora para criar uma universidade ousada, interdisciplinar e preocupada com a formação de pesquisadores – algo raro no cenário brasileiro. Esperamos que a presente obra produza um outro olhar sobre Teixeira, exercício tão necessário para preservarmos os pensadores sociais que influenciaram decisivamente a educação no país e que atualmente encontra-se à margem dos assoreados rios do conhecimento.