Bem-Estar e Saúde Comunitária: Teoria, Metodologia e Práticas Transformadoras

Ref: 978-85-473-4167-1

O presente livro inscreve-se dentro de um contexto de mudanças políticas e sociais que afetam diferentes países do mundo e, inclusive, o Brasil, por meio da implementação de políticas de austeridade. Políticas estas que não contribuem para a diminuição das desigualdades sociais e de saúde que tanto atingem o nosso país.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 72,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 32,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-4167-1


ISBN Digital: 978-85-473-4168-8


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 15/01/2020


Número de páginas: 283


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 27 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Jorge Castellá Sarriera .

O presente livro inscreve-se dentro de um contexto de mudanças políticas e sociais que afetam diferentes países do mundo e, inclusive, o Brasil, por meio da implementação de políticas de austeridade. Políticas estas que não contribuem para a diminuição das desigualdades sociais e de saúde que tanto atingem o nosso país.

Nesse sentido, esta obra faz uma aposta ao pensar em estratégias de promoção e prevenção no contexto da saúde comunitária, compreendendo a comunidade como um espaço potente de resistência e de construção de projetos coletivos e pensando em uma produção acadêmica que se aproxima das necessidades das pessoas, considerando suas especificidades e os diferentes contextos nos quais estão inseridas. Além de apostar na potência dos encontros para a construção de novos projetos de saúde, desde a perspectiva psicossocial.

Bem-estar e saúde comunitária: teoria, metodologia e práticas transformadoras traz contribuições que propiciam pensar diferentes espaços e possibilidades de intervenção na área da Saúde Comunitária. Ademais, apresenta diferentes abordagens metodológicas que podem ser utilizadas para pensar a pesquisa e intervenção na área. Esta obra é fruto das atividades realizadas pelo Grupo de Trabalho (GT) de Saúde Comunitária da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Psicologia (ANPEPP), formado desde 2009, com pesquisadores de diferentes partes do país e também de outros países da América Latina.