Funny Games, Michael Haneke, Contracinema!

Ref: 978-65-5523-093-2

Este livro lança um olhar analítico sobre o consumo de imagens de violência por entretenimento na sociedade contemporânea. O ponto de partida dá-se com o longa-metragem Funny Games (1997), dirigido pelo cineasta austríaco Michael Haneke (1942-), que fez com que o autor Thiago Henrique Ramari sentisse “[...] um desconforto crescente, um incômodo que não demorou a se aproximar do limite do insuportável”.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00 R$ 44,10 10% off
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 49,00 R$ 22,00 56% off
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-5523-093-2


ISBN Digital: 978-65-5523-087-1


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 10/07/2020


Número de páginas: 119


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Thiago Henrique Ramari.

Este livro lança um olhar analítico sobre o consumo de imagens de violência por entretenimento na sociedade contemporânea. O ponto de partida dá-se com o longa-metragem Funny Games (1997), dirigido pelo cineasta austríaco Michael Haneke (1942-), que fez com que o autor Thiago Henrique Ramari sentisse “[...] um desconforto crescente, um incômodo que não demorou a se aproximar do limite do insuportável”. Para desvendar esse efeito, Ramari percorre diferentes teorias fílmicas até alcançar o contracinema, referencial pouco explorado no Brasil, no qual se encaixa a obra de Haneke e, sobretudo, Funny Games. Desse modo, Ramari parte de um único filme para contemplar o contracinema, compreender o próprio desconforto perante o longa-metragem de Haneke e analisar, ao fim de tudo, por que a sociedade se deleita tanto com imagens de cunho violento. Funny Games, Michael Haneke, Contracinema! é um livro dedicado a todos os leitores que se interessam pela obra do realizador austríaco, pelo cinema como manifestação cultural e intelectual, e pela sociedade na qual vivemos.