Direitos e Cidadania na Escola de Educação Integral: Uma Análise a Partir da Experiência de Professores e Alunos

Ref: 978-65-5523-230-1

Há muito o tema da educação integral deixou de estar vinculado apenas à proposição que aponta para a ampliação do tempo de permanência na escola como uma forma de facilitar a aprendizagem. Qualquer inferência sobre a escola em tempo integral que pretenda adquirir status de seriedade não permite a dissociação da ampliação da jornada escolar da noção de uma educação integral e multidimensional.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00 R$ 46,80 10% off
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-5523-230-1


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 03/08/2020


Número de páginas: 191


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Frei Paulo Sérgio Cantanheide.

Há muito o tema da educação integral deixou de estar vinculado apenas à proposição que aponta para a ampliação do tempo de permanência na escola como uma forma de facilitar a aprendizagem. Qualquer inferência sobre a escola em tempo integral que pretenda adquirir status de seriedade não permite a dissociação da ampliação da jornada escolar da noção de uma educação integral e multidimensional. Essa constatação evidencia que a oferta de uma educação integral não necessariamente deva se desenvolver em tempo integral. Contudo, a pluralidade de contexto pessoal, cultural e sociofamiliar apresentada pelo alunado introduz no debate sobre educação integral as categorias de educação de qualidade e de direito à educação. Nesse sentido, a ampliação do tempo de permanência na escola aparece antes como uma alternativa viável para a efetivação do direito à educação de qualidade do que como mera quantificação do tempo em função da aprendizagem. Ao analisar os 10 anos de implantação da escola em tempo integral no município de Goiás-GO, o presente livro procura dar voz a professores (tanto atuantes em salas de aula quanto na gestão educacional) e a alunos, que realizam suas experiências profissionais e educacionais nas referidas escolas, a fim de perceber como esses principais sujeitos do processo educacional identificam a escola em tempo integral como uma instituição educacional capaz de garantir o direito à educação de qualidade e de formar para a cidadania. A apreciação que esses sujeitos da escola fazem de suas experiências na ampliação da jornada escolar possibilita que esta obra apresente uma análise critica das políticas educacionais brasileira no âmbito da educação integral e da escola em tempo integral.