O Rio da Costa e a Cidade de Vila Velha: Da Ruptura à Busca da Harmonia por Meio do Desenho Urbano

Ref: 978-65-5523-114-4

Este livro descreve a transformação dramática do rio da Costa localizado na cidade de Vila Velha, estado do Espírito Santo. O manancial hídrico mais importante na colonização das terras Capixabas pelos colonizadores portugueses em 1535, onde seu leito serviu para adentrar com barcos ao novo continente, que era cercado de cerrada mata virgem, sendo que próximo a ele se estabeleceu o primeiro núcleo habitacional.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 99,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 35,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-5523-114-4


ISBN Digital: 978-65-5523-123-6


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 29/07/2020


Número de páginas: 185


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Heliomar Venâncio.

Este livro descreve a transformação dramática do rio da Costa localizado na cidade de Vila Velha, estado do Espírito Santo. O manancial hídrico mais importante na colonização das terras Capixabas pelos colonizadores portugueses em 1535, onde seu leito serviu para adentrar com barcos ao novo continente, que era cercado de cerrada mata virgem, sendo que próximo a ele se estabeleceu o primeiro núcleo habitacional.
O tempo passou e, com o crescimento populacional e a desordenada urbanização da cidade, o tecido urbano engoliu o rio da Costa, que foi transformado nos canais da Costa e canal Guaranhuns, e hoje eles estão totalmente poluídos e sem vida em suas águas.
Este livro demonstra em um ensaio projectual um redesenho do canal e seu entorno, trazendo uma alternativa de ocupação ao longo de seus 10km, religando a baía de Vitória ao rio Jucu, e voltando a vida da cidade berço da colonização do estado para esse histórico manancial.