Arqueologia da Persuasão: O Simbolismo Rococó da Matriz de Santa Rita

Ref: 978-85-473-0310-5

Neste estudo, o arquiteto e arqueólogo João Carlos Nara Júnior nos oferece uma abordagem polissêmica da arte sacra do Brasil Colonial. Passamos a conhecer em detalhe a matriz de Santa Rita de Cássia em suas dimensões setecentistas e nas especificidades de sua arte rococó. Trata-se de uma das igrejas mais antigas do Rio de Janeiro, em que foram batizados e sepultados tanto nobres e fazendeiros do recôncavo da Guanabara quanto milhares de africanos que desembarcavam e logo seguiam para as Minas Gerais.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 69,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 24,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-85-473-0310-5


ISBN Digital: 978-85-473-0310-5


Edição: 1


Ano da edição: 2016


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 283


Peso: 300 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. João Carlos Nara Júnior.

Neste estudo, o arquiteto e arqueólogo João Carlos Nara Júnior nos oferece uma abordagem polissêmica da arte sacra do Brasil Colonial. Passamos a conhecer em detalhe a matriz de Santa Rita de Cássia em suas dimensões setecentistas e nas especificidades de sua arte rococó. Trata-se de uma das igrejas mais antigas do Rio de Janeiro, em que foram batizados e sepultados tanto nobres e fazendeiros do recôncavo da Guanabara quanto milhares de africanos que desembarcavam e logo seguiam para as Minas Gerais.

Através da sua decoração em talha de madeira, de suas pinturas e imagens, o autor explora os sentidos da reflexão arqueológica sobre as paisagens, a arte e as simbologia cristã colonial. Encravada no centro histórico da cidade, a igreja de Santa Rita tanto resiste como se impõe enquanto espaço material e imaterial de memórias, símbolos e consagrações.

 

Flávio Gomes — Instituto de História, UFRJ