Movimentos Sociais, Greves Docentes e Redes Educativas: Filmes, Conversas e Fotografias

Ref: 978-65-5820-396-4

Ocupar as ruas, disputar os espaçostempos, dialogar com outros trabalhadores, olhar nos olhos dos estudantes, partilhar medos, angústias e esperanças. Correr, chorar, sentir doer, mas amar, sonhar, tecer laços, dar as mãos... Este livro é um emaranhado de memórias; memórias de luta.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 81,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 28,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-5820-396-4


ISBN Digital: 978-65-5820-400-8


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 28/09/2020


Número de páginas: 285


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Joana Ribeiro dos Santos.

Ocupar as ruas, disputar os espaçostempos, dialogar com outros trabalhadores, olhar nos olhos dos estudantes, partilhar medos, angústias e esperanças. Correr, chorar, sentir doer, mas amar, sonhar, tecer laços, dar as mãos... Este livro é um emaranhado de memórias; memórias de luta. Nos anos de 2013 e 2014, os profissionais da educação das redes municipal e estadual de educação do Rio de Janeiro ganharam as ruas e realizaram movimentos grevistas que marcaram suas próprias vidas, a cidade do Rio de Janeiro e o imaginário da população. Em um momento de efervescência política, logo após as chamadas “Jornadas de Junho” (2013), em meio a uma Copa do Mundo (2014), realizada no Brasil, e com a proximidade das eleições de 2014, estes mesmos profissionais da educação denunciaram os efeitos das políticas neoliberais na educação: as precárias condições de trabalho, a política meritocrática, a necessidade de repensar os processos de aprendizagemensino, os equívocos dos usos das avaliações externas, a desvalorização do trabalho docente etc. Estes mesmos movimentos chegaram ao fim, mas algo permanece nos subterrâneos dos cotidianos, no fazersaber escolar de todos os dias (que são únicos). Estes movimentos produziram conhecimentossignificações (assim junto e em itálico) que formaram os profissionais da educação. Dessa forma, os movimentos grevistas docentes são aqui entendidos como redes educativas e agenciaram mudanças nos currículos praticadospensados. Por fim, este livro é um convite. As narrativas de docentes, fotografias e filmes presentes neste livro convidam xs leitorxs a uma grande conversa. Partilhando as memórias do que aprendemosensinamos nos movimentos sociais e nos cotidianos das escolas, poderemos tecer juntos a educação pública que acreditamos.