O Sentimento que se Vê: Como a Inveja Aparece na Publicidade Utilizando o Contexto de Classes Sociais Semelhantes

Ref: 978-65-5820-563-0

Esta obra analisa as indicações invejosas contidas em alguns filmes publicitários a fim de identificar como a narrativa apresentada indica uma perspectiva de classes sociais semelhantes.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 55,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 19,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-5820-563-0


ISBN Digital: 978-65-5820-595-1


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 05/01/2021


Número de páginas: 117


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Karen Muzany.

Esta obra analisa as indicações invejosas contidas em alguns filmes publicitários a fim de identificar como a narrativa apresentada indica uma perspectiva de classes sociais semelhantes. Considera-se que a comunicação, em seu âmbito cultural, atua com informações coletadas pelos aspectos comportamentais identificados em seus possíveis consumidores, assim a mídia tem como premissa essas representações sociais na emissão de suas mensagens. Diversos estudos versam sobre o consumo da perspectiva da distinção ou da satisfação de desejos narcísicos, como em Bourdieu (2017) e Lipovetsky (1989), respectivamente, mas predominam análises sobre o sujeito que já efetuou o consumo, por isso esta obra se propôs olhar para o indivíduo observador, aquele que inveja. Assim foi realizada análise de imagens a partir dos pontos de semelhança entre as campanhas coletadas metodologicamente, o olhar enviesado, trazendo como base o agrupamento de imagens intitulado de Atlas Mnemosyne, criado por Aby Walburg e utilizado por Didi-Huberman, em 2013. Por fim, foi possível compreender as narrativas presentes nos anúncios e identificar a inveja em razão da aquisição de mercadorias de bens de consumo duráveis e não duráveis em contextos em que se encontram classes sociais semelhantes.