(Auto)Biografia da Educadora Maria Fernandes de Queiroga (Irmã Ana, Osf) - a Guardiã

Ref: 978-65-5820-891-4

O livro (Auto)biografia da educadora Maria Fernandes de Queiroga (Irmã Ana, OSF): a guardiã revela a vida dessa educadora, destacando os caminhos da sua formação escolar, a ação dos grupos-referência na sua constituição identitária pessoal e profissional, assim como a sua práxis educativa.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 22,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-5820-891-4


ISBN Digital: 978-65-5820-919-5


Edição:


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 03/02/2021


Número de páginas: 209


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Iolanda de Sousa Barreto.

O livro (Auto)biografia da educadora Maria Fernandes de Queiroga (Irmã Ana, OSF): a guardiã revela a vida dessa educadora, destacando os caminhos da sua formação escolar, a ação dos grupos-referência na sua constituição identitária pessoal e profissional, assim como a sua práxis educativa.

Qual é a motivação de alguém para se tornar um professor? Como as características próprias assumidas no decurso de sua vida podem influenciar sua ação educativa? As respostas a essas e tantas outras perguntas necessitam de uma análise dos processos identitários de cada sujeito em particular. No caso de Irmã Ana, ainda se faz uma inevitável pergunta como ponto de partida e de chegada: qual é a maior contribuição dessa religiosa educadora para a educação de Catolé do Rocha e da Paraíba?

A leitura desta obra possibilitará ao leitor o acesso a uma produção de conhecimento educacional, uma reflexão deontológica da docência e, mais ainda, a revelação de nuances e meandros de um passado sócio-histórico fugidio no tempo.