O Fenômeno Psicossomático e o Objeto A

Ref: 978-65-250-0168-5

O livro O fenômeno psicossomático e o objeto a lança um novo olhar sobre o tema da psicossomática, propondo discutir a afirmação difundida entre alguns psicanalistas lacanianos de que o objeto a é encarnado no órgão lesionado.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 55,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 19,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-250-0168-5


ISBN Digital: 978-65-250-0164-7


Edição:


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 14/04/2021


Número de páginas: 207


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Joseane Garcia de Souza Moraes.

O livro O fenômeno psicossomático e o objeto a lança um novo olhar sobre o tema da psicossomática, propondo discutir a afirmação difundida entre alguns psicanalistas lacanianos de que o objeto a é encarnado no órgão lesionado. Depois de um estudo sobre a ruptura de Lacan com concepção da unidade psicofísica em jogo nas escolas de psicossomática e a problematização do corpo na psicanálise, a autora percorre todas as formulações de Lacan sobre o tema e faz um estudo detalhado da invenção lacaniana do objeto a. Ao constatar que a consistência do objeto é o vazio, pois ele é uma estrutura topológica que responde a uma lógica que formaliza a borda de uma interseção vazia entre o sujeito e o Outro, a encarnação do objeto a é refutada. Dando ênfase à última formulação de Lacan sobre o fenômeno psicossomático, de que é algo da ordem do número escrito no corpo e fixado por um gozo específico, um novo caminho de discussão é indicado pela autora, apresentando uma hipótese, a partir da topologia borromeana, de uma continuidade de dois registros, imaginário-real.