O Sagrado em Narrativas de Mia Couto e Boaventura Cardoso

Ref: 978-65-250-0630-7

Neste livro, a autora apresenta a leitura crítica de um corpus literário repleto de elementos do sagrado, um dos pilares das identidades africanas. Ao problematizar as profundas transformações geoistóricas, sociais, políticas, econômicas e culturais que têm desestabilizado noções fixas de sujeito e de nação, O sagrado em narrativas de Mia Couto e Boaventura Cardoso discute as ambivalentes configurações culturais, em que coexistem fenômenos de destradicionalização e de (re)invenção da tradição, permeados nas encruzilhadas entre os discursos religiosos do colonizador e do colonizado, da colonialidade e da pós-colonialidade.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 59,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 26,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-250-0630-7


ISBN Digital: 978-65-250-0615-4


Edição:


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 25/06/2021


Número de páginas: 255


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Cassiana Grigoletto.

Neste livro, a autora apresenta a leitura crítica de um corpus literário repleto de elementos do sagrado, um dos pilares das identidades africanas. Ao problematizar as profundas transformações geoistóricas, sociais, políticas, econômicas e culturais que têm desestabilizado noções fixas de sujeito e de nação, O sagrado em narrativas de Mia Couto e Boaventura Cardoso discute as ambivalentes configurações culturais, em que coexistem fenômenos de destradicionalização e de (re)invenção da tradição, permeados nas encruzilhadas entre os discursos religiosos do colonizador e do colonizado, da colonialidade e da pós-colonialidade. O estudo do sagrado nessas narrativas objetiva analisar os mecanismos de negociação cultural durante a expansão e o colonialismo português, com contínuos efeitos no período pós-colonial, compreendendo-o como encruzilhada transcultural e força política de descolonização. Por meio de uma perspectiva comparatista e interdisciplinar, presente nos estudos culturais e pós-coloniais, a autora tensiona esses discursos e questiona o sincretismo religioso. Pela atualidade de seu conteúdo e a fluidez do texto, esta leitura torna-se obrigatória, não apenas para profissionais e estudantes de Letras e áreas afins, mas para todos aqueles que se interessam pelas tramas e problematizações do nosso tempo e/ou condição “pós”, tão bem representadas pela literatura.