Vidas em Trânsito: Sujeitos e Experiências nos Deslocamentos Urbanos

Ref: 978-65-250-0571-3

O livro Vidas em trânsito; sujeitos e experiências nos deslocamentos urbanos aborda a temática dos deslocamentos de trabalhadores e trabalhadoras nas cidades brasileiras a partir dos processos de subjetivação e experiência desses sujeitos. Para tanto, valendo-se de ferramentas da etnografia e dialogando com as alegorias do camponês e do marinheiro, propostas por Walter Benjamin, o autor realiza, ao lado de “Flora”, “Reinaldo”, “Cíntia” e “Lucas”, uma série de jornadas urbanas, visando a captar, em seus percursos e narrativas, a experiência formativa – e, em muitos casos (de)formativa – de seus deslocamentos pela cidade. Experiência essa abordada pelo livro em diversas dimensões: a relação com os tempos urbanos; os encontros e desencontros com os estranhos; a educação dos corpos e sentidos na cidade; os dispositivos pedagógicos presentes no provimento e nos suportes letrados do transporte coletivo.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 87,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 30,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-250-0571-3


ISBN Digital: 978-65-250-0569-0


Edição:


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 24/06/2021


Número de páginas: 299


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Cláudio Márcio Oliveira.

O livro Vidas em trânsito; sujeitos e experiências nos deslocamentos urbanos aborda a temática dos deslocamentos de trabalhadores e trabalhadoras nas cidades brasileiras a partir dos processos de subjetivação e experiência desses sujeitos. Para tanto, valendo-se de ferramentas da etnografia e dialogando com as alegorias do camponês e do marinheiro, propostas por Walter Benjamin, o autor realiza, ao lado de “Flora”, “Reinaldo”, “Cíntia” e “Lucas”, uma série de jornadas urbanas, visando a captar, em seus percursos e narrativas, a experiência formativa – e, em muitos casos (de)formativa – de seus deslocamentos pela cidade. Experiência essa abordada pelo livro em diversas dimensões: a relação com os tempos urbanos; os encontros e desencontros com os estranhos; a educação dos corpos e sentidos na cidade; os dispositivos pedagógicos presentes no provimento e nos suportes letrados do transporte coletivo.
Articulando uma ousada “flânerie teórico-metodológica”, o livro “transita” entre diversos campos de conhecimento, produzindo análises fecundas acerca da questão do tempo e da velocidade, dos modais de transporte e dos ambientes a ele construídos. Com uma crítica contundente, temos um conjunto de reflexões políticas e ecológicas acerca dos transportes urbanos, o que desfaz certas ilusões correntes relacionadas à natureza e ao alcance social da tecnologia, pautadas na crença que sustenta ser possível resolver os problemas inerentes ao transporte público em uma sociedade desigual mediante a adoção de estratégias ou visões exclusivamente técnicas, como as elaboradas pela engenharia de trânsito.
Destinado a professores, pesquisadores e em especial a todos aqueles interessados nas questões da mobilidade urbana e nos processos educativos que se dão NAS e PELAS cidades – nas quais os transeuntes levam consigo seus pertencimentos de gênero, etnia e, principalmente, de classe social durante seu deslocar –; Vidas em trânsito; sujeitos e experiências nos deslocamentos urbanos é um convite a um olhar interdisciplinar a partir da perspectiva de seus habitantes, apontando outras concepções de democracia e vida urbana, a partir de uma noção ampliada do direito de “ir e vir”.