Desigualdade, Diferença, Política: Análises Interdisciplinares em Tempos de Pandemias

Ref: 978-65-250-1030-4

O contexto que a humanidade experimenta com o advento da Covid-19 demanda a reunião de todo o conhecimento possível para compreendermos a expansão dessa pandemia no planeta e analisarmos as suas reverberações nas mais distintas realidades, regiões, situações e populações.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-250-1030-4


Edição:


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 20/07/2021


Número de páginas: 227


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Mériti de Souza.

O contexto que a humanidade experimenta com o advento da Covid-19 demanda a reunião de todo o conhecimento possível para compreendermos a expansão dessa pandemia no planeta e analisarmos as suas reverberações nas mais distintas realidades, regiões, situações e populações.
A coletânea Desigualdade, diferença, política: análises interdisciplinares em tempos de pandemias reúne trabalhos de pesquisadores de áreas do conhecimento como Psicologia, História, Educação, Psicanálise e Saúde Pública, o que possibilita a abordagem de variados contextos e situações por profissionais de origem e formação distintas e que
recorrem a diferentes matrizes teóricas. Esse recorte interdisciplinar estimula o repensar dos pressupostos que sustentam múltiplas áreas do conhecimento a partir das suas interfaces e conexões com situações e processos associados a pandemias.
A desigualdade social é um problema amplo que atravessa a história nacional e global. Em épocas de pandemias e outros desastres sociais, econômicos, ambientais e de saúde, as condições de desigualdade, associadas às referências da diferença e da política, ganham proporções ainda mais alarmantes. Analisar e criticar o amplo e complexo cenário que propaga e sustenta essas condições, nas suas inúmeras modalidades, é um desafio que mobiliza profissionais das mais diversas áreas, em geral preocupados(as) em instituir estratégias que possam atenuar as condições sub-humanas nas quais vivem bilhões de pessoas no mundo e, de forma mais específica, milhões de brasileiros e brasileiras.