Casamento Psíquico: A Dinâmica Energética da Psique sob a Ótica da Dinâmica de um Casal

Ref: 978-85-473-0417-1

A obra de Lúcia Helena Barros Vinagre parte da visão do dinamismo da psique junguiana. Inicia-se definindo a energia psíquica, mostrando como ela move-se no sentido da autorrealização e da busca por equilíbrio entre atitudes e funções psíquicas de adaptação, ou seja, a tipologia psicológica de Jung. Com isso, traz o símbolo e a função transcendente, explicando que o movimento energético faz emergir conteúdos do inconsciente integrando os opostos que se fazem presentes nessas instâncias em que o símbolo assume o papel de função transcendente, servindo de mediador entre ego e self, de modo a favorecer o processo de individuação.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 46,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0417-1


Edição: 1


Ano da edição: 2017


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 135


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Lúcia Helena Barros Vinagre.

A obra de Lúcia Helena Barros Vinagre parte da visão do dinamismo da psique junguiana. Inicia-se definindo a energia psíquica, mostrando como ela move-se no sentido da autorrealização e da busca por equilíbrio entre atitudes e funções psíquicas de adaptação, ou seja, a tipologia psicológica de Jung. Com isso, traz o símbolo e a função transcendente, explicando que o movimento energético faz emergir conteúdos do inconsciente integrando os opostos que se fazem presentes nessas instâncias em que o símbolo assume o papel de função transcendente, servindo de mediador entre ego e self, de modo a favorecer o processo de individuação.

Como a autora escolheu ver esse movimento no casal, não havia como deixar de expor algum conteúdo sobre animus e anima, enquanto figuras internas atuando na psique de cada cônjuge, definindo o movimento energético no par e descrevendo um caso clínico em que se aborda a qualidade da relação.

Para finalizar, fala do casamento psíquico. Ali, veem-se as inter-relações que se estabelecem entre animus e anima e as funções psíquicas de contato do indivíduo consigo mesmo.

O caso clínico que inicialmente havia sido o fio da pesquisa agregou mais que a soma de suas partes, revelando resultados inesperados, que podem ser acompanhados ao longo da leitura desta obra.