Chico Buarque: A Alegoria e o Duplo na Ficção

Ref: 978-85-473-0477-5

Aventurar-se pela obra literária de Chico Buarque é uma experiência instigante, provocadora, que desabilita a zona de conforto do leitor, levando-o a deambular pelo mundo labiríntico de palavras, de signos, de imagens e de alegorias, permeados por uma ficção ondulante e enigmática. Linguagem, corpo, cotidiano e sonho dissolvem-se nos romances buarquianos. Suas obras configuram a visão alegórica do vazio existencial do homem contemporâneo, diante da ausência ou perda de identidade pelos protagonistas, restando para eles a melancolia e a história de memórias em ruínas. Essas ruínas são análogas às do barroco e reproduzem-se nas incertezas do mundo moderno, como já representadas na lírica de Baudelaire. Vive-se hoje sem utopias, sem rumos. O mundo torna-se cada vez mais ilusório, à medida que se torna mais virtual com a supervalorização da imagem. Noutro sentido, a ambivalência da alegoria instaura uma resposta que pode ser não só o vezo do melancólico apático e paralisante, mas também uma atitude avessa, em que se reorganizam os fragmentos e se recriam novas possibilidades de significação


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0477-5


Edição: 1


Ano da edição: 2017


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 253


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Tânia Maria de Mattos.