Razão, Liberdade e Educação em Eric Weil - Reflexões sobre a Violência Humana

Ref: 978-65-250-1027-4

Este livro, que é fruto de uma pesquisa aprofundada que culminou com a defesa da dissertação de mestrado, propõe-se a lançar um olhar sobre a compreensão de Eric Weil acerca das relações entre razão e violência. Para esse peculiar pensador, a violência não tem possibilidade de erradicação, mas sim de diminuição, razão pela qual não basta fazer como se ela não existisse, não falar a respeito e recalcar o medo.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 47,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-250-1027-4


Edição:


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 29/07/2021


Número de páginas: 117


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Marcelo Larger Carneiro.

Este livro, que é fruto de uma pesquisa aprofundada que culminou com a defesa da dissertação de mestrado, propõe-se a lançar um olhar sobre a compreensão de Eric Weil acerca das relações entre razão e violência. Para esse peculiar pensador, a violência não tem possibilidade de erradicação, mas sim de diminuição, razão pela qual não basta fazer como se ela não existisse, não falar a respeito e recalcar o medo. A obra discute, então, um dos problemas mais antigos da humanidade: a violência, investigando as relações entre razão, liberdade e educação como formas de possibilidade para seu enfrentamento. Busca-se, assim, esclarecer a dualidade entre razão e violência como elementos constitutivos do ser humano, estabelecendo-se as possibilidades radicais de escolha livre, verificando-se, portanto, de que forma a educação contribui para a escolha da razão à universalidade. Nessa senda, a obra traz em sua tônica a reflexão acerca dos problemas da violência, possibilitando que todas as pessoas participem desse processo, a fim de que possamos compreendê-la e combatê-la dia a dia, sem trégua, acreditando que esse combate seja possível pela e com a educação contínua e permanente, informal e formal, que toma assim papel importantíssimo na formação da escolha do homem entre justificar sua vida racionalmente ou aceitar os domínios da violência.