Educação Emancipatória: Entre Experiências Pedagógicas, Diversidade e Transgressões

Ref: 978-65-250-1161-5

Este livro parte do princípio de que a educação leva-nos a um espaço contínuo de tensão, negociação e transformação de culturas que disputam espaços de poder. Uma práxis centrada na pedagogia crítica resulta em uma educação libertadora no sentido de possibilitar às(aos) professoras(es) e às(aos) estudantes uma educação que critique a sociedade, que valorize a diferença quando precisa ser reconhecida para a construção e vivência da equidade social, que só é efetivada na formação de subjetividades individuais emancipatórias.


Calcule o frete

Opções de entrega:


Versão digital
R$ 0,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-250-1161-5


ISBN Digital: 978-65-250-1161-5


Edição:


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 05/08/2021


Número de páginas: 235


Encadernação: Digital


Peso: 100 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Izanete Marques Souza.

2. Vera Lúcia Fernandes de Brito.

3. Jane Adriana Vasconcelos Pacheco Rios.

Este livro parte do princípio de que a educação leva-nos a um espaço contínuo de tensão, negociação e transformação de culturas que disputam espaços de poder. Uma práxis centrada na pedagogia crítica resulta em uma educação libertadora no sentido de possibilitar às(aos)

professoras(es) e às(aos) estudantes uma educação que critique a sociedade, que valorize a diferença quando precisa ser reconhecida para a construção e vivência da equidade social, que só é efetivada na formação de subjetividades individuais emancipatórias.


Discutir, pensar e fazer a educação emancipatória não admite pensar a aprendizagem como responsabilidade e resultado individualizado. Ao contrário, requer entender os processos de ensino-aprendizagem como o resultado de práticas de ensino, de pesquisa e de extensão que buscam promover equidade social emancipadora nos espaços fronteiriços, os quais, muitas vezes, distanciam-se a passos largos da educação idealizada pelos programas de formação de professoras(es) e nos documentos oficiais de orientação da educação brasileira.


É nessa luta por uma educação emancipatória que os membros do Gepedet – Grupo de Pesquisa em Educação, Diversidade, Linguagens e Tecnologias do IF Baiano e de outras instituições de ensino superior apresentam, aqui, artigos que vêm escrutinando os processos de educação na tentativa de potencializar processos pedagógicos emancipadores como resultado de processos dialógicos e, exatamente por isso, tensos. Busca-se potencializar também uma prática inclusiva dentro dos diversos tipos de diversidade e de necessidades específicas.