O Mito do Caçador de Marajás: As Aventuras das Imagens Políticas pelo Fabuloso Reino da Mídia

Ref: 978-65-250-0968-1

O mito ressuscitou inteiro após 30 anos de uma morte inquieta. Pelo largo espelho da história, Jair Bolsonaro e Collor contemplam-se incrédulos, mas reconhecem-se plenamente nos vácuos simbólicos que ajudaram a preencher com as promessas de redenção e vingança. Seus respectivos corpos, adornados com apelos a virilidade e fantasias eróticas, ou com rasgões de dor, ódio e sofrimento, são desenterrados em praça pública para o delírio de uma massa ansiosa por espetáculo e emoções compensatórias.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 66,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 23,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-250-0968-1


ISBN Digital: 978-65-250-0980-3


Edição:


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 23/09/2021


Número de páginas: 235


Encadernação: Brochura


Peso: 350 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Ramilton Marinho Costa.

O mito ressuscitou inteiro após 30 anos de uma morte inquieta. Pelo largo espelho da história, Jair Bolsonaro e Collor contemplam-se incrédulos, mas reconhecem-se plenamente nos vácuos simbólicos que ajudaram a preencher com as promessas de redenção e vingança. Seus respectivos corpos, adornados com apelos a virilidade e fantasias eróticas, ou com rasgões de dor, ódio e sofrimento, são desenterrados em praça pública para o delírio de uma massa ansiosa por espetáculo e emoções compensatórias.

Ao atordoado mercado eleitoral, Collor e Bolsonaro ofereceram mapas substitutos da realidade e do desejo promovendo sentimentos de integração e orientação em meio a desencantamento, incertezas e pânico. Projetando angústias na figura sedutora de um herói protetor ou intempestivo, facilitaram identificações e transferências pelo mesmo espelho de Narciso. Por meio dele, modelos de um carisma imagético são construídos no reflexo espetacular da mídia e do marketing para interferirem na arquitetura dos cenários eleitorais, influenciando opiniões e comportamento, instaurando novas formas de sedução.

Em linhas gerais, o objetivo deste livro é perceber como o marketing e a mídia construíram a imagem do “caçador de marajás”, uma mitologia política capaz de traduzir e refletir desencantos e esperanças naqueles anos de 1980, marcados por fabulosas reviravoltas. Por meio delas, é possível repensar sobre as imagens de Getúlio Vargas, Jânio Quadros, Lula e Jair Bolsonaro, sendo que este lhe é mais próximo.

Collor e Jair Bolsonaro contemplam-se e espelham-se enquanto construção mitológica na política. Ambos assumem a figura arquetípica do herói salvador e vingador manipulando as lâminas perigosamente afiadas do medo, da fantasia, da esperança e do ressentimento.

Talvez, contemplando o presente pela ótica espelhante desse passado, reconheçamos melhor os mitos de ontem e de hoje, com a certeza de que a história pode realmente se repetir como farsa e tragédia, ao mesmo tempo.