Cinema Brasileiro e Coprodução Internacional

Ref: 978-85-473-0243-6

Este livro, de Flávia Rocha e Dácia Ibiapina, certamente será uma referência para estudantes e professores de cinema e audiovisual, cineastas e agentes culturais. O fio condutor é compreender a política pública de apoio à coprodução cinematográfica internacional, em seu cruzamento com a preocupação de inserir o cinema “brasileiro” no mercado “global”.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0243-6


Edição: 1


Ano da edição: 2016


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 193


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Dácia Ibiapina.

2. Flávia Rocha.

Este livro, de Flávia Rocha e Dácia Ibiapina, certamente será uma referência para estudantes e professores de cinema e audiovisual, cineastas e agentes culturais. O fio condutor é compreender a política pública de apoio à coprodução cinematográfica internacional, em seu cruzamento com a preocupação de inserir o cinema “brasileiro” no mercado “global”. A obra contém informações relevantes para quem sonha em fazer cinema em parceria com artistas e/ou financiadores de outros países. Além de um levantamento de dados, acordos, editais e programas de apoio à coprodução, o livro traz o resultado de uma ampla pesquisa bibliográfica sobre o tema e entrevistas em profundidade com cineastas brasileiros, diretores e assessores internacionais da Ancine, do Ibermedia e do Programa Cinema do Brasil. O livro analisa alguns longas-metragens brasileiros realizados em coprodução internacional, adentrando nos bastidores das negociações, dos intercâmbios culturais e dos resultados dos filmes. As autoras apresentam como se dá a busca pela abertura de novos espaços para o cinema brasileiro, para além da expansão e ocupação do mercado interno no País, que é o segundo maior produtor de filmes na América Latina. Cinema brasileiro e coprodução internacional remetem também às liberdades individuais dos profissionais de cinema, como o interesse em seguir carreiras internacionais, a liberdade de vislumbrar a oportunidade de ter suas obras vistas por outros públicos, outras culturas, outros hábitos, outros valores, outras percepções, e a oportunidade de ser percebido com maior valorização, de ganhar maior reconhecimento, de ser visto na “selva global”. Com esta obra o leitor terá muitos subsídios para repensar o cinema brasileiro contemporâneo, bem como as vantagens e dificuldades inerentes a esse modo de produção cinematográfica.