Gestão de Ativos Intangíveis e Capital Organizacional na Pós-Graduação

Ref: 978-65-250-1290-2

O livro Gestão de Ativos Intangíveis e capital organizacional na Pós-Graduação lança um novo olhar sobre a gestão estratégica de unidades acadêmicas, como os programas de pós-graduação, com foco no uso de indicadores de monitoramento e avaliação do ativo intangível capital organizacional, observando-o como uma poderosa fonte de vantagem competitiva e ferramenta indispensável na busca por melhores resultados em ensino, pesquisa e extensão. A obra apresenta o capital organizacional de cinco programas de pós-graduação stricto sensu de uma Universidade Federal, avaliado a partir de 25 indicadores nas dimensões Cultura, Liderança, Alinhamento e Trabalho em Equipe, da perspectiva de aprendizado e crescimento organizacional do Balanced Scorecard (BSC).


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-250-1290-2


Edição:


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 28/09/2021


Número de páginas: 149


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 23 cm


Comprimento: 16 cm


Altura: 2 cm


1. Clésia Maria de Oliveira.

2. Osmar Siena.

O livro Gestão de Ativos Intangíveis e capital organizacional na Pós-Graduação lança um novo olhar sobre a gestão estratégica de unidades acadêmicas, como os programas de pós-graduação, com foco no uso de indicadores de monitoramento e avaliação do ativo intangível capital organizacional, observando-o como uma poderosa fonte de vantagem competitiva e ferramenta indispensável na busca por melhores resultados em ensino, pesquisa e extensão. A obra apresenta o capital organizacional de cinco programas de pós-graduação stricto sensu de uma Universidade Federal, avaliado a partir de 25 indicadores nas dimensões Cultura, Liderança, Alinhamento e Trabalho em Equipe, da perspectiva de aprendizado e crescimento organizacional do Balanced Scorecard (BSC). Como base para o estudo, utilizou-se o enfoque desenvolvido por Kaplan e Norton acerca dos ativos intangíveis e da metodologia para medir a prontidão do capital organizacional, bem como os critérios utilizados para avaliação da pós-graduação nacional. Os autores também enfatizam como o cotejo entre a visão de futuro explicitada por um dos programas e o conceito inicial atribuído pela Capes na implantação do programa possibilitaram a construção de uma hipótese de causa e efeito acerca de uma estratégia com foco na melhoria dos resultados relativos às atividades, de forma a conduzir o programa rumo à sua visão. Por seu conteúdo marcante, atual e relevante, esta leitura se torna uma valiosa fonte de discernimento acerca do ativo intangível capital organizacional, bem como um roteiro para elaboração e uso de indicadores, para todos que se interessam pelo tema ou atuam como gestores, seja em órgãos públicos, seja na iniciativa privada. Em especial, para aqueles que compreendem que o know-how da força de trabalho, a cultura organizacional e os sistemas de tecnologia da informação, por exemplo, valem muito mais que os ativos tangíveis tradicionais, por serem difíceis de imitar. Pensando assim, quão valiosa seria a cultura de uma organização na qual as pessoas que nela atuam compreendessem e acreditassem em suas diretrizes (missão, visão, valores ou princípios), compartilhassem seus conhecimentos e potencializassem a sinergia entre suas partes, por meio da integração e do alinhamento das atividades que geram valor?