Coletivos Fotográficos Contemporâneos

Ref: 4448741

Os Coletivos Fotográficos Contemporâneos têm contribuído para discussões importantes no campo da fotografia, tanto com suas produções quanto com as reflexões que sua atuação exige.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 46,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-8192-788-6


Edição: 1


Ano da edição: 2015


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 205


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Eduardo Queiroga.

Os COLETIVOS FOTOGRÁFICOS CONTEMPORÂNEOS têm contribuído para discussões importantes no campo da fotografia, tanto com suas produções quanto com as reflexões que sua atuação exige. Tentar alcançar as dinâmicas desse fenômeno nos ajuda não somente a entendê-lo melhor como também a repensar os limites da fotografia. Para Eduardo Queiroga, "quando o coletivo incorpora a discussão sobre o processo de criação, absorvendo a existência de vários sujeitos, criando alternativas de financiamento, assumindo a rotatividade e polivalência dos indivíduos na organização e produção, ele está, indiretamente, contribuindo para a porosidade das fronteiras".
É possível pensarmos uma fotografia coletiva? Existem diferenças significativas entre os coletivos contemporâneos e iniciativas anteriores que agruparam fotógrafos? A obra analisa diversos modelos de organização, como fotoclubes, agências e bancos de imagens, entre outros, além de experiências "individuais" que lançam questões interessantes sobre a ideia de compartilhar o ato fotográfico. O autor traz para o debate a contribuição de teóricos como Barthes, Foucault, Deleuze, Guattari, Flusser, Agamben e Jonathan Crary, além da observação das reconfigurações atuais de nossa sociedade em pensadores da cultura digital, como Pierre Lévy, Jenkins e André Lemos, sem perder de vista a preocupação de manter o texto fluido e dinâmico. Buscou-se um equilíbrio entre uma pesquisa aprofundada sobre os vários aspectos que envolvem esse novo fenômeno e uma boa leitura, sem sobrecarga de referências. O estudo mais atento dos coletivos Cia de Foto, Garapa e Pandora, incluindo a análise de diversas de suas obras, completa o percurso de investigação.
A reflexão e a formação em fotografia vêm crescendo tanto no Brasil como no mundo. Este livro, ao trabalhar de modo pioneiro o surgimento dos coletivos contemporâneos, auxilia fotógrafos, estudantes e professores a traçar novos rumos para suas atuações e relações com o meio fotográfico.