Conselheiros e Conselheiras de Escola em Formação: Aprendendo e Ensinando Participação

Ref: 4461107

Pautados pela luta por direitos, conselheiros e conselheiras de escola revelam as relações que estabelecem com a escola no processo de sua democratização.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-8192-817-3


Edição: 1


Ano da edição: 2015


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 231


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Cileda dos Santos Sant’Anna Perrella.

Conselheiros e Conselheiras de Escola em Formação: aprendendo e ensinando participação. Esse é o movimento, a dinâmica de sujeitos em processos participativos. E por que não dizer formativos? Qual a formação necessária para governados atuarem na perspectiva de serem governantes? Como se desenvolve essa formação? A escola tem dado conta desse tipo de formação? O conselho de escola, como espaço democrático de participação, de tomada de decisão, também pode se revelar como espaço de formação? A esse respeito, o que os conselheiros de escola têm a dizer ao poder público? Pautados pela luta por direitos, conselheiros e conselheiras de escola revelam as relações que estabelecem com a escola no processo de sua democratização. A obra é indicada para interessados na educação em seu sentido amplo, em processos democráticos de participação, gestão democrática, pesquisadores, elaboradores de políticas educativas, educadores e formadores que atuam no campo da educação não formal popular e também no campo formal, além de conselheiros interessados em avançar no processo de democratização da gestão da escola e, quiçá, da sociedade. 

"O trabalho trata de duas questões de fundo de nosso país: democracia e educação de qualidade para todos, e que são permanentemente negligenciadas, distorcidas e desqualificadas em sua importância pelas elites nacionais, que não as têm como valores reais. [...] trata-se de uma obra atual (relevante pela sua contemporaneidade), reveladora (dos nossos impasses, deslizes, problemas e também conquistas), inquieta (por ser uma contribuição e deixar temas em aberto) e necessária (para os que as querem enfrentar de fato)". 
Rubens B. de Camargo.