Aporias do Tempo em Inferno Provisório, de Luiz Ruffato

Ref: 978-65-250-1472-2

A reflexão sobre o elemento temporal da narrativa é determinante para a compreensão do romance, gênero literário que se constituiu e se desenvolveu à luz de uma nova sensibilidade em relação ao tempo instaurada com o advento da modernidade.Entretanto, falar de tempo é tarefa difícil que filósofos como Platão, Aristóteles, Santo Agostinho enfrentaram bravamente. Dentre os contemporâneos, destaca-se Paul Ricoeur, para quem a experiência temporal apresenta dificuldades lógicas insuperáveis (aporias) que só se resolvem no plano da narrativa.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 59,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-250-1472-2


Edição:


Ano da edição: 2022


Data de publicação: 19/04/2022


Número de páginas: 253


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Gislei Martins de Souza Oliveira.

A reflexão sobre o elemento temporal da narrativa é determinante para a compreensão do romance, gênero literário que se constituiu e se desenvolveu à luz de uma nova sensibilidade em relação ao tempo instaurada com o advento da modernidade.
Entretanto, falar de tempo é tarefa difícil que filósofos como Platão, Aristóteles, Santo Agostinho enfrentaram bravamente. Dentre os contemporâneos, destaca-se Paul Ricoeur, para quem a experiência temporal apresenta dificuldades lógicas insuperáveis (aporias) que só se resolvem no plano da narrativa.
Muito já foi dito sobre a obra de Luiz Ruffato, um dos maiores expoentes da literatura brasileira contemporânea, contudo, as diferentes abordagens evitaram um aprofundamento maior no que tange à interferência da ruptura do tempo ficcional na figuração da subjetividade das personagens.
Sem se deixar intimidar pela complexidade da matéria, a autora deste livro se propõe examinar o diálogo que Inferno Provisório estabelece com a tradição literária, demonstrando como o homem está à mercê de uma temporalidade presente, que o faz rever o passado somente como ruína. Para tanto, analisa o entrecruzamento entre os diversos planos temporais e seu efeito sobre a psicologia das personagens, sobre a representação gráfica do foco narrativo e outras tantas experiências formais presentes na obra. Desta análise criteriosa resulta uma excelente contribuição para um novo olhar sobre a obra ruffatiana!