Do Trauma Encarnado à Biopatia: A Clínica Bioenergética do Sofrimento Orgânico

Ref: 978-85-8192-924-8

Quais as contribuições das intervenções psicocorporais da Análise Bioenergética no tratamento de pacientes com queixas de sofrimento orgânico? Coadunando com os esforços internacionais em pesquisar a eficácia da psicoterapia corporal, o autor parte da hipótese de que o diagnóstico e a intervenção psicocorporal na vertente neorreichiana podem servir como catalisadores no processo de cuidado de pacientes tradicionalmente considerados como psicossomáticos.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 22,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-8192-924-8


ISBN Digital: 978-85-8192-924-8


Edição: 1


Ano da edição: 2016


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 2013


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Périsson Dantas do Nascimento.

Quais as contribuições das intervenções psicocorporais da Análise Bioenergética no tratamento de pacientes com queixas de sofrimento orgânico? Coadunando com os esforços internacionais em pesquisar a eficácia da psicoterapia corporal, o autor parte da hipótese de que o diagnóstico e a intervenção psicocorporal na vertente neorreichiana podem servir como catalisadores no processo de cuidado de pacientes tradicionalmente considerados como psicossomáticos. Privilegiou-se neste livro um método clínico qualitativo de pesquisa, no qual pacientes com queixas somáticas variadas foram submetidos a sessões de psicoterapia bioenergética. Alguns temas levantados pelas pacientes confirmam hipóteses de trabalho discutidas na literatura, tais como: histórico de traumas de desenvolvimento e violência intrafamiliar; experiências de abandono, frieza e distanciamento da figura materna; um vínculo ambivalente de amor/mágoa com a figura paterna; dificuldades de experimentar prazer na vida e na sexualidade; sintomas orgânicos surgindo associados a uma crise específica de vida, decorrente de um processo de adoecimento crônico. Este trabalho assegura a convicção de que a escuta diferenciada do corpo no processo terapêutico serve como canal de comunicação que facilita a empatia no cuidado integrado em saúde.